Maria

Message of the Virgin Mary Rose of Peace - Marian Center of Figueira, Brasil - July 25, 2017

Message of the Virgin Mary Rose of Peace - Marian Center of Figueira, Brasil - July 25, 2017

https://youtu.be/DabPh5dy1Vk

Rossano

Total de visualizações de página

IMPULSO UNIVERSAL...

IMPULSO UNIVERSAL...
Seguindo...

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Eu sou uma estrela!



Série Reflexões Espirituais
BRILHA, ESTRELA STRADIVAS
Uma Mensagem de Kara Schallock
7 de Abril de 2010

Eu sou uma estrela; cintilando, tênue parte da Criação de Deus iluminada pelo brilho do Sol. Enquanto eu mantenho o meu lugar na galáxia, eu olho para além do meu sistema solar para os outros da minha espécie e admiro quem eles são. Eles são como eu? Eles são grandes ou pequenos? Eles morreram e que parte gloriosa do Universo estão representando? Eles são uma parte de um mundo maior apanhados pela gravidade de seu Sol? Eles são parte de um buraco negro ou algum outro vórtice girando fora de controle, mas certamente produzido em um padrão particular pela energia que é gerada dentro do campo da Criação? Eles questionam a sua vida como eu faço? Será que eles sabem o que são?

Brilha, brilha, Estrelinha

Enquanto eu admiro o que você é

Elevada tão alto acima do mundo

Como um diamante no céu.

Veio como um sonho, a pequena canção, cantada por uma voz baixa. Eu sabia que não veio do meu tempo e lugar e mesmo assim a ouvi tão claro como se me sussurrasse. Só que não era um sussurro; era uma espécie de tilintar. O que era? De onde veio? Isso despertou-me de minha tranquilidade de ser; de refletir a Luz da Criação. Eu estava consumido pelo som, com a sensação de uma música de muito longe.

"Oh, Stradivas, você não parece estar cintilando tão brilhante", Sturdevant disse.

"Estou pensando", Stradivas respondeu sem olhar para o centro de seu universo, o disco solar.

"Sobre o quê? Quão bem está você, se você não está refletindo a minha Luz?"

"Bem, talvez eu esteja cansado de ser seu refletor."

"O quê?!? Você precisa! Como é que vai iluminar o céu para aqueles no lado oposto de mim? "

"Eu suponho que não deve ser do meu interesse", disse a pequena estrela, preocupada em memorizar a canção sobre si mesma.

Stradivas foi consumido com perguntas sobre sua vida e sobre o seu propósito e se perguntou como surgiu. Ele era uma parte do Plano Original? Será que ele tem um propósito diferente do que brilhar para o Sol? Por que ele ouve a música? Era uma mensagem além da sua galáxia... ou... veio de seu próprio interior, em vez de longe?

Tantas perguntas. Stradivas não poderia existir ainda; ele desenvolveu a curiosidade e uma tentativa natural de querer ir além do que ele sempre soube. Pouco a pouco, ano a ano, Stradivas começou a perder a luz, como perdeu o interesse em ser a luz de alguém. No entanto, Stradivas foi paciente. Ele sabia que algo estava acontecendo, mas não sabia o que, uma vez que ele sempre tinha feito a mesma coisa todos os milhões de anos em que tinha sido uma estrela.

Sturdevant surpreendeu a estrela escurecida para despertá-la, "Stradivas! O que está acontecendo?!? Você está apagado!".

"Eu estou?!?", Stradivas ficou chocado com esta notícia e ainda muito animado.

"E você continua bloqueado. Porque eu mal posso vê-lo! Pare com isso agora!"

Stradivas sorriu para si mesmo. Algo está acontecendo. Sem responder a Sturdevant, Stradivas fechou os olhos e sonhou. Ao longo de seu sonho, o tilintar de "Brilha, Brilha, Estrelinha", tocava ao fundo.

Um menino parado no meio de um amplo gramado verde, em um globo azul e verde ainda maior, estava olhando para o céu à noite, cantando. "Brilha, brilha...", e então ele fez um desejo.

"Eu gostaria de ter a minha, a minha verdadeira estrelinha. Eu a levaria em todos os lugares a que eu fui. Gostaria de mostrar as coisas e falar com ela e mostrar aos meus amigos e eles ficarem espantados. Sim, eu desejo a minha estrela."

"Oh, meu Deus,", exclamou Stradivas ao acordar, "Eu acho que eu encontrei meu propósito!". Com um sorriso em seu coração e em seu rosto escurecido, pensou em seu sonho e seu desejo para um propósito maior. "Eu sei que isso vai levar algum tempo, por isso vou ser paciente."

Enquanto isso, Stradivas moveu-se lentamente para fora de seu sistema solar e galáxia. Ele nunca disse adeus a seus amigos estelares ou ao seu captor. De alguma forma, ele estava se movendo através do espaço e no tempo. Durante todo o tempo de perda do seu brilho, Stradivas não se preocupou, pois ele sabia que estava seguro. Não importava quanto tempo levasse ou que forma ele se tornasse, ele tinha uma missão dada em um sonho.

Enquanto se arremessava em direção ao seu destino, outro sonho foi dado a Stradivas. Uma bela deusa, ou uma sacerdotisa ou anjo, brilhava acima dele. Ela era difícil de ver, por ser pura luz. O brilho era suave e ele sabia que estava escutando um dos seres mais próximos do Criador.

"Após o eclipse da Lua da Terra, você deve cair no globo azul e branco." Com esta instrução, ela tornou-se nada mais do que um tufo de um sonho muito antigo, e, novamente, "Brilha, Brilha, Estrelinha" tocou.

"Espere! O que é um eclipse e o que é Terra e o que é uma lua?", Stradivas chamou. Apenas um sussurro veio e ele se esforçou para ouvir.

"Tudo vai ser cuidado; você tem que confiar."

Despertando a partir desta instrução, Stradivas olhou em volta. Ele estava se movendo mais rápido agora e enquanto se esforçava para olhar ao redor, ele notou que na distância havia um brilho, uma estrela brilhante, maior do que o seu próprio pai sol da sua habitação anterior. Ele também notou que, além dessa esfera brilhante, havia algo que ele nunca tinha visto antes... um belo globo verde e azul e branco. "Oh..., deve ser a Terra."

Enquanto ele avançava através do vazio espaço escuro, ele se lembrou das instruções do seu sonho: "Espere pelo eclipse da Lua." Enquanto ele se precipitava mais perto da Terra, notou uma esfera branca. Não era tão brilhante como o Sol, nem tão grande quanto o planeta. "Esta deve ser a Lua."

Stradivas não sabia o que um eclipse era. Lembrando as palavras do Ser sobre confiança, ele pairava ali ao lado da Lua e acima do planeta. Não era difícil estar suspenso sem uma órbita para segurá-lo no lugar, por algum motivo. Ele gostava da sensação de flutuar e ser embalado para dormir.

Algo o despertou. Ao invés do brilho suave da Lua, a luz tornou-se mais fraca. Uma enorme sombra se movia através da Lua. No começo, ele ficou assustado. O que estava acontecendo? Enquanto observava a Lua tornar-se envolta em trevas, ele sabia que este era o eclipse que anunciava sua derradeira descida.

Animado, ele esperou enquanto a escuridão crescia. A Lua em si não estava escurecendo; era apenas a sombra na terra pelo Sol brilhar do outro lado da Terra. "Que magnífico!"

"Está na hora", um sussurro interior falou. Stradivas começou a mergulhar mais e mais rápido para a Terra, sem saber o que estava à frente dele, e tornando-se quente; brilhando suave, ele caiu no belo planeta. Seus olhos marejados, até mesmo a superfície de seu corpo se tornou ondulada com a velocidade com que ele voou. "Iuuupiiiiii!" Stradivas nunca teve tanta diversão. Ele não estava com medo pelo planeta azul e verde tornar-se maior e maior através da sua visão turva. Ele colocou plena confiança no anjo do sonho. Ele Soltou e, assim que ele fez, foi mais rápido. Ele notou também, através de risadinhas de prazer, que ele estava se tornando cada vez menor enquanto descia para a Terra. Mesmo isso não o impediu do seu destino.

Como Stradivas rodopiava mais e mais rápido, ele observou que estava em chamas, e ainda assim esse fato não o alarmou. Logo, ele não poderia descrever a redondeza da Terra, mas em vez disso viu vistas maravilhosas de coisas que ele nunca poderia sequer imaginar antes. Para o olho humano, eram florestas e montanhas e mares e lagos e rios e todos os tipos de animais selvagens. Para Stradivas havia tantas formas estranhas e milagrosas, que ele ficou atordoado com as escolhas do que olhar em seguida.

E ali, no centro da sua viagem incrível, havia um menino olhando para ele com as mãos em concha, como se esperasse para pegar Stradivas! Com os olhos fechados espremidos, Stradivas sentiu-se calmo e foi tornando-se sólido. Ele não ousa olhar, porque, afinal de contas, a sua confiança poderia ir longe! Ele não sentia mais o barulho do vento soprando em torno do seu consistente corpo redondo, sente um calor e proteção. Ele abriu os olhos e não conseguia ver nada! "Ohhhh, agora eu consegui! Eu morri!"

Chorando, Stradivas de repente começou a ver alguma luz. Duas esferas azuis brilhantes estavam olhando para ele, e sentiu algo que nunca tinha experimentado antes. Ele sentiu um cálido brilho que começou no centro do seu eu e ele sabia que tudo estava bem. Stradivas sentiu Amor pela primeira vez! O menino tinha realizado o seu desejo especial. E também sentiu-se neste cálido lugar dentro dele, iluminado e elevadíssimo. Ele gentilmente segurou a pequena estrela ao Sol; Stradivas brilhava e refletia milhares de minúsculos arco-íris. Stradivas havia se tornado um diamante! E, sim, com a sua própria autêntica Luz.

http://soulsticerising.com/spiritual-musings.asp?NID=3
www.soulsticerising.com
Tradução: Vilma Capuano 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...