Mantra

Mantra: "Eu liberto o medo, eu abraço o Amor.".

Mensagem de Maria

Video completo

In English

Campanha pela Paz

Colabore

A Peregrinação pela Paz tem percorrido o planeta, levando a instrução e o amor dos Mensageiros Divinos a cada coração humano. Prosseguindo nesta jornada, a Virgem Santíssima anunciou que, neste ano, necessita estar novamente com Seus filhos na Europa.

A Peregrinação se iniciará em Portugal, nas cidades de Porto, Fátima e Lisboa. Depois seguirá para Atenas na Grécia, Roma na Itália e Madri, Ávila e Barcelona na Espanha. Para isso, necessita da união e colaboração de todos os Seus filhos.

Para que esta importante aspiração da Virgem Maria se realize, contamos com seu apoio.


Musica do blog





Flash

Impulso Universal

Impulso Universal

domingo, 30 de novembro de 2014

E' olhar com outros olhos!

Percebi que não renunciava, mas que fugia.



Mestre Lanto – A história do Homem, a Sabedoria Divina
30 de novembro de 2014

A VIDA DE MESTRE LANTO*

Eu nunca quis as honrarias do mundo dos homens, porque sempre soube que elas seriam tão passageiras como as nuvens.

Eu nunca quis os amores e as paixões, que, além de violentar o espirito, também violentam a alma e despertam desejos. Eu não quis porque sabia que amar, para mim, teria  de ser algo infinitamente mais profundo do que apenas conhecer a paixão do corpo, os instintos que cada um pode perceber, pois até os animais copulam em busca do prazer do sexo.

Eu quis o amor… O verdadeiro amor.

E eu sei que nem sempre esse amor é fácil de ser encontrado e partilhado.

 E em meio a profundos desencantos, segui por um caminho que não sabia por onde me levava.

Sequer eu saberia dizer  a vocês o que fiz. E à medida que caminhei, os meus sapatos se romperam: e quando me vi descalço, me apercebi do tempo que tinha levado nessa estrada sem destino. E sem olhar a minha aparência, sei que os meus cabelos cresceram, que a barba apareceu no meu rosto, que havia pó de baixo das minhas unha, e que estava renunciando, Tanto andei, que não tinha mais consciência dos meus passos. Há muito havia passado a sede, a dor em minhas pernas, o cansaço nos meus braços.

Há muito havia passado também as lembranças de minha casa, a lembrança do meu, meu, meu… O que era meu?

Eu  não tinha nada. Eu renunciei sem saber a que, por que, se nada tinha, a que renunciei?

E quando no meu caminho vi muitos outros como eu, homens, que não tinham amado, que não tinham criado família, que não tinham seguido os desafios do mundo da carne, eu me perguntava:

A que eu renunciei?

A que eles estão renunciando?

Quem são eles e quem sou eu?

Muito me perguntei. E muitas vezes, quando a minha língua estava seca e nem uma gota de água eu sabia onde encontrar, eu me perguntei: a que eu renuncio?

A quem eu deixo de falar, se a minha mente é mais  feroz do que um abutre?

 A que verdadeiramente eu estou renunciando?

Eu era muito jovem. Eu tinha um corpo muito saudável.

‘- Você é o seu Eu, com este sentimento, pensando, profundamente, na renúncia – uma renúncia que eu não escolhi, mas que veio andando comigo, caminhando comigo – como eu transcorria. Aos mesmos passos que eu andava, eu renunciava, sem saber o que fazia.

E percebi que não renunciava, mas que fugia.

E percebi que, se calado eu estava, era porque não tinha com quem conversar.

E então, comecei a fazer o caminho de volta. O caminho de vocês. O caminho de cada um de vocês,

Eu fui voltando a ser homem. Fui voltando a ter desejos. Fui voltando a ter desejos. Fui voltando a ter sonhos e não apenas aflições. Fui voltando a ter sorrisos e não apenas lágrimas.

Eu percebi que a vida não deve ser renunciada e nem os prazeres esquecidos, porque eles voltam, com uma voracidade tão grande, que podem me consumir ao invés de guardá – los  em meu bolso, puído e esfarrapado.

E, num dia de muito sol, senti o quanto eu estava equivocado, dentro das minhas sombras, do meu orgulho, da minha pretensão e do meu medo. E, nesse dia, a consciência da Chama Dourada caiu sobre mim, e na minha frente apareceu um Mestre.

Ele era muito menor do que eu. Fisicamente, era apenas um homem pequeno. Mas a sua Alma reluzia como reluzem as grandes almas.

E  a isso o meu coração palpitou. E como se fosse um gongo, uma campainha vibrou dentro de mim.

E ele me disse:
‘ – Quer ser Deus, meu filho?’.

E  eu me espantei muito com aquela pergunta. E eu respondi:
‘- Sim!’.

Eu nunca havia pensado em ser Deus, mas disse sim.

Naquele momento, que pareceu horas, eu pensei: ‘Deus não sofre, Deus não tem que ganhar a vida, Deus não tem que ter dinheiro, Deus não tem que ter família, Deus não tem mulher, Deus não tem filhos… Eu quero ser Deus!’.

Ele olhou para mim, sorriu e disse:
‘- Seja apenas homem… Apenas homem!’.

E com essas palavras, da mesma forma que ele do nada surgiu, ao nada voltou.

Eu não podia me apresentar imundo, do jeito que estava em nenhuma cidade, porque assustaria não apenas as mulheres que eu estava desejando no meu intimo, mas também as crianças e os cachorros.

Quem iria ficar perto de um indigente imundo como eu estava?

Eu me banhei num rio, E as águas antes claras – o rio era pequeno – ficaram imundas com a minha presença.

E ali, mais uma vez abençoado pela Chama Dourada, este mesmo mestre apareceu, flutuando sobre as águas, e ele me disse:

‘- Você não quer ter dificuldades?’.
E eu rapidamente disse:
‘- Não, eu não quero dificuldades!’.
E ele me disse:
‘-  Então, acaso, meu filho, recusas a vida?’.

Eu não compreendi. Mas tão aturdido estaca, lavando – me, livrando – me dos piolhos, tirando de mim mesmo uma aparência que eu não tinha, que não o vi desaparecer como da primeira vez,

E assim, limpo, eu continuei caminhando.

Como não podia cortar os meus cabelos eu os prendi nas costas. E andei com o desejo de não   mais ferir os pés.

Andei, esperando que alguém de boa vontade me desse uma roupa, uma túnica, para que eu pudesse novamente apresentar – me na sociedade.

E numa noite, quando eu não tinha o que comer, de novo ele veio, e das suas mão surgiram biscoitos, os mais deliciosos, os mais deliciosos que eu já havia comido.

E ele disse:
‘- Lembras da tua mãe?’.
E eu lembrei da minha mãe. Lembrei da humanidade da minha mãe, Lembrei dos erros da minha mãe. Mas isso fazia tanto tempo, que lembrei também dos acertos. Eu lembrei do aroma da comida dela, eu lembrei do carinho. Eu lembrei que ela me deu o corpo, que ela me emprestou a chance de viver.
E eu disse:
‘- Sim! Perdão, mestre. Perdão, porque eu quis fugir, por ser incapaz de amar.
 Perdão, porque eu quis transformar o mundo, ao invés de me transformar.
Perdão, porque eu quis ser  mais o outro… um outro que eu criei para mim, do que eu mesmo’.

E ele me disse:
‘- Percebes que traíste a ti mesmo?’.

E ai as lágrimas vieram aos meus olhos, e eu não pude mais conter. E, mais uma vez, pedi perdão… Perdão por fugir, perdão por minha falta de coragem, pela minha falta de Fé… Perdão por ter sido tão pouco, e não ter desejado, ter aceito ser homem!

E, num gesto de luz, ele me tocou e eu me vi vestido com as mais velas vestes. Uma túnica dourada, enfeitada de vermelho.
Eu parecia um rei, Eu me sentia um rei.
E dos meus cabelos lavados, e ainda empoeirados da estrada, ele fez uma trança. E me disse:
‘- Você é o seu único poder!’
‘- Você é o seu único amigo!’
‘- Você é a sua única força!’
‘- Você é Deus!’

E, quando ele tocou meu coração, eu me senti como o próprio Deus.

Aquele no meu caminho era a expansão do próprio mestre Buda. E ele disse que, quando eu estivesse velho, eu seria também um Mestre. Mas que, antes, eu precisava ser Homem.

E contando a minha história, eu digo a vocês, que foi muito, mas muito difícil, ser homem, aceitar a minha humanidade, aceitar os meus desafios, aceitar as minhas m[as qualidades para transforma – las. Tudo isso foi muito, muita mais difícil do que me tornar um Mestre.

Hoje eu sou Lanto, mas eu já fui homem, eu já fui sombra. E venho, como meu nobre amigo disse, incentivando vocês a plantar a suas maçãs.

Sugiro, meus filhos: vivam como nobres… Nobres almas, nobres destinos, nobres esperanças, para um mundo de realizações.

Aceitem ser homens, para se tornarem mestres!

Esta é a minha mensagem.

Coragem, aventura, amor, expansão da luz e dignidade!’.
                                                                                                               


Do Livro: Os Sete Mestres - Maria Silvia Orlovas

*Mestre Lanto é o Choran do Segundo Raio - Amarelo - o Raio da Sabedoria.
Deve-se invocá- lo em momentos de depressão, culpa, raiva, mágoa, medo, todo e qualquer sentimento que tire a capacidade de enxergar com clareza a sua verdadeira Missão Cósmica.
Este Raio   propicia a clareza de pensamentos e bons sentimentos por nós mesmos, aumentando assim, a  auto-estima,  reconhecendo no outro a Centelha Divina.

Deve dançar!



"Toda pessoa deve dançar todos os dias, mesmo que seja em pensamento." 

Rabbi Nachman of Breslov

A Gratidão: ela pode transformar...



A Gratidão
Melody Beattie
30 de novembro de 2014

‎"A gratidão desbloqueia a abundância da vida.
Ela torna o que temos em suficiente, e mais. 
Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade.
Ela pode transformar uma refeição em um banquete, uma casa em um lar, um estranho em um amigo.
A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã."


Melody Beattie

A energia do hábito: você tem que reconhecer que ela está presente




A energia do hábito
Thich Nhat Hanh
30 de setembro de 2014

Suponha que temos o hábito de caminhar muito rapidamente, muito rápido. De repente, quando chegamos a Plum Village*, somos convidados a desacelerar. Achamos que não é agradável. Uma vez que todos estão andando devagar, você tem que diminuir o ritmo e não se sente feliz. Portanto, sua prática é o motivo de seu sofrimento. Caminhe lentamente, sim, mas ande de tal maneira que te faça feliz, relaxado e calmo, este é o ponto. Temos que perguntar como caminhar lentamente e ainda assim não sofrer, desfrutando da caminhada. Portanto, isto requer algum conhecimento, alguma ideia, alguma prática para poder desfrutar da meditação andando.

Você está diante de uma espécie de hábito, o hábito de caminhar muito rapidamente, correndo. Esse hábito está enraizado profundamente em nossa vida diária. Talvez nossos ancestrais costumassem caminhar muito rapidamente e nos transmitiram essa maneira de caminhar.

Talvez muitas gerações acreditassem que a felicidade está em algum lugar lá no futuro. Temos que ir para esse lugar a fim de sermos felizes. A felicidade não é possível agora, aqui. Esse tipo de crença, consciente ou inconsciente, tornou-se muito forte em nós. Acreditamos que a felicidade é impossível aqui e agora. É por isso que existe um tipo de energia nos empurrando para correr, correr por toda a nossa vida, em busca de um tempo, um lugar, quando a felicidade será possível.

Assim, como entendemos que fomos pegos nesse tipo de hábito, sempre correndo, estamos determinados a parar, para transformar esse hábito e aprendermos como dar passos que possam nos permitir tocar a vida profundamente em cada momento. Com esse tipo de aprendizado e prática, seremos capaz de andar mais devagar e vamos começar a desfrutar do toque da terra com nossos pés, combinando os nossos passos com a nossa inspiração e expiração. Nós apenas nos sentimos maravilhosos ao andar assim, andando sem qualquer intenção de chegar. Isso é novo para nós. Temos que aprender a desenvolver o novo hábito. E à medida adquirimos a energia do novo hábito, vamos passar a desfrutar de um passeio.

Assim, a prática é reconhecer o velho hábito, o hábito negativo, o mau hábito, reconhecer a energia de nossos hábitos e sorrir para eles. E também cultivar o hábito novo, o bom hábito, até que o novo hábito começe a produzir energia. Quando temos um novo tipo de energia, não temos que fazer qualquer esforço, apenas desfrutaremos ouvir o sino, apenas desfrutamos o caminhar lentamente, apenas desfrutamos o comer em silêncio, porque gostamos disso. De repente, a prática torna-se agradável, alegre, nutritiva.

Seria absurdo se nós seguíssemos uma prática que nos faz sofrer. O Buda sempre nos lembra de seu Dharma, sua prática deve ser agradável no começo, no meio, no final. Assim, a prática deve ser linda, deve ser agradável, deve ser alegre, se você está sentado ou em pé, comendo ou bebendo. Se você está cozinhando ou limpando. Cozinhar e limpar devem ser feitos de tal forma que possam lhe proporcionar paz, alegria e nutrição.

Nós sabemos o quão forte, quão poderosa é a energia de hábito. Notamos que há momentos em que não somos nós mesmos, não podemos ser nós mesmos. Somos levados pela nossa energia de hábito. Não queríamos dizer o que dissemos, sabíamos que fazendo isso iríamos criar danos em nosso relacionamento com a outra pessoa. Mas, finalmente, dissemos. Nós sabíamos que não deveríamos fazê-lo. Sabíamos que se fôssemos em frente criaríamos danos em nosso relacionamento. Mas, finalmente, fizemos. Dissemos que era mais forte do que nós. O que era mais forte? A energia de hábito. Por isso sentimo-nos impotentes. Nós nos sentimos muito fracos de forma que não podemos lidar com a força do hábito que é muito forte.

E depois de ter dito aquilo, depois de ter feito aquilo, lamentamos. Nós sentimos muito, nos condenamos. Às vezes, fazemos uma forte promessa que da próxima vez não vamos fazer novamente. Não vamos dizer outra vez. Mas na vez seguinte, fazemos de novo, dizemos outra vez. A energia de hábito é muito forte. É por isso que temos de ser capazes de praticar para aprender formas de lidar com essa energia de hábito, a fim de transformá-la.

O Buda não recomenda lutar contra sua energia de hábito. Ele recomendou a prática de reconhecer esses hábitos. A prática de reconhecer, se a incluirmos em nossa prática diária, irá tornar-se um outro tipo de hábito, um bom hábito. Você é capaz de reconhecer tudo o que está acontecendo dentro de si mesmo, incluindo a energia de hábito que você considera ser mais forte do que você. Reconhecendo assim, não significa que você tem que sofrer porque tem esse hábito, pois esse hábito pode não ter sido aprendido durante a sua vida. Pode ser um tipo de energia de hábito transmitida por várias gerações de seus antepassados e você só a recebeu. Você tem que reconhecer que ela está presente e tentar transformá-la para si mesmo, para seus pais e para seus antepassados.

Se você pensar em sua vida como um jardim...

Um jardim, Louise Hay




Um jardim começa com um pequeno pedaço de terra onde você joga algumas sementes, rega, cuida e deixa os raios do sol agirem.
No começo parece que nada acontece, mas, se você continuar a fazer tudo isso, se você for paciente, o jardim irá crescer e florir.
Se você pensar em sua vida como um jardim, ou em sua mente como um jardim, ela será assim.


Louise Hay

Grandes batalhas...

A vida esta' pronta para acontecer

Iluminado...

Voce...



Muitos leitores sentiram-se tristes com o que souberam sobre o cativeiro dos E.T’s que vieram ajudar.



A Federação da Luz
Através de Blossom Goodchid
Novembro 29, 2014


Blossom: Olá, meus amigos. Há um assunto a respeito da última canalização que gostaria de esclarecer. É completamente uma falta ‘nossa’, pois SINTO que ‘nós’ sabíamos o que significava, mas, ao ler, está pouco claro para os leitores. É sobre os Greys estarem a trabalhar secretamente com os que controlam o planeta. Parece que são os Greys a raça que foi capturada. Não considero que seja esse o caso. Sinto ser outra raça de ET’s que está detida. Por favor, podem esclarecer?

A Federação da Luz: Bem-vindas, Querídissimas Almas, para a causa de elevar o planeta Terra para uma posição mais Elevada. Blossom, estamos cientes do assunto mencionado, devido aos teus pensamentos. Muitos leitores sentiram-se tristes com o que souberam sobre o cativeiro dos E.T’s que vieram ajudar. Falaremos deste assunto mais tarde, mas, por agora, vamos esclarecer o assunto em questão.

Não são os Greys que estão em cativeiro … embora não seja completamente correcto … pois ‘alguns estão’. Compreendes, tal como no vosso mundo … há ‘facções divididas’ - os que desejam fazer o bem e os que só desejam beneficiar a si mesmos. É o que acontece com a raça dos Greys. Alguns ‘passaram para o lado das trevas’ e alguns permaneceram na sua Verdade de Amor original. Não é um caso raro em muitos planetas. Mas, em comparação com o número de planetas que existe são … muito poucos.

Portanto, sim … há alguns ‘Greys ‘não-conformados’ com os desejos da facção das trevas, que foram ‘usados e abusados’ e há outros da mesma raça que … como costumamos dizer … seguem os que desejam o mal … a fim de ter as suas necessidades preenchidas.

Estamos MUITO cientes, Blossom, que não desejas aprofundar muito estes assuntos. Respeitamos essa posição, mas devemos dar alguma informação de modo a satisfazer as perguntas a respeito da última canalização.

Blossom: Obrigada. Não estou a ser covarde … penso, apenas, que não é aconselhável focarmo-nos nesses assuntos. Muitos fazem-no … e está bem … mas, não nestas conversas. Pessoalmente, não sinto que beneficie a elevação da vibração, e é para isso que estamos aqui. Então, podem dizer-nos quem são os ET’s em cativeiro?

A Federação da Luz: São ajuntamentos de não conformados de diversas ‘estirpes’. O que quer dizer … são uma mistura de seres de diversos lugares … que foram ‘apanhados’ pelas suas atitudes e quando lhes pediram ajuda … naturalmente concordaram ir. Por isso, não podemos dizer que são todos de um lugar em particular.

Como podem imaginar, foi uma missão enorme.

Blossom: Que se tornou desfavorável, pelo que estou a ver.

A Federação da Luz: Aos olhos dos habitantes da Terra.

Blossom: Então o quê? Com todo o respeito, estão a dizer que isto também não importa?

A Federação da Luz: O aspecto ‘não importa’ não é como estás a SENTI-LO.

O que aconteceu neste plano em particular … aconteceu. Como nas vossas vidas … as oportunidades que são apresentadas para o vosso crescimento … podem ser vistas de várias maneiras. Vocês crescem com a experiência, mas, cada estrada que escolhem percorrer é inteiramente da vossa conta.

A vossa ATITUDE para com TODAS AS COISAS, é inteiramente da vossa conta.

Os nossos queridos amigos em cativeiro …

Como afirmamos na última vez … não estão ‘no mesmo barco’ que vós. Por esta razão, tendes uma visão do caso, diferente da deles.

Blossom: De que maneira? Pois, vocês disseram que eles sentem a dor quando são torturados … tal como nós.

A Federação da Luz: E é assim. Mas, como é que podemos explicar? Eles experimentam-na através de um CONHECIMENTO/COMPREENSÃO de um lugar mais Elevado. Por esta razão, a aceitação do que lhes está a acontecer, embora não seja o melhor cenário … é ‘um sacrifício para o bem de todos’ … pois cremos que é uma expressão. Faz parte da experiência que é colocada perante eles … para servirem como A Luz … para a Totalidade.

Muitos do vosso mundo não fizeram o mesmo … em nome da sua fé total no seu Deus?

Blossom: Sim. Mas tudo parece ser tão ‘mau’.

Muitos interrogam-se como é que é permitido que eles continuem com isto … estes patifes!! O que me leva à pergunta seguinte, e sinto que tem muito para desenvolver … o assunto das instalações subterrâneas. Outra vez, houve muito desânimo das pessoas, ao saberem que não foram todas destruídos.

A Federação da Luz: Só podemos referir a NOSSA VERDADE, Blossom. Essas coisas de que falamos, continuam a acontecer nessas ‘luras/tocas’ escondidas.

Blossom: Foram muitas esvaziadas e deixadas apenas algumas? Ou aconteceu ao contrário?

A Federação da Luz: Iríamos sugerir que consideres a possibilidade desses ‘patifes’, como lhes chamaste de ânimo leve …

Blossom: Apenas para manter a vibração em alta.

A Federação da Luz: … são muito astutos. Pois, na verdade, se não fossem … não estariam na posição que conseguiram. São de uma raça de Seres que farão tudo o que estiver ao seu alcance para terem as suas necessidades satisfeitas. Iríamos mais longe e diríamos … que eles não SENTEM como vós. Estão tão obcecados pela ganância e pelas suas necessidades … que, na maior parte dos casos, estes seres são desprovidos de emoções. E mesmo assim … ainda escolhemos chamar-lhes ‘almas perdidas’, pois na verdade, é o que eles são.

Blossom: Ok, então … voltando ao assunto dos bunkers.

A Federação da Luz: Sim. Há ainda ‘instalações’ fundamentais, completamente intactas.

Blossom: Quantas?

A Federação da Luz: Não sabemos exactamente.

Blossom: Importavam-se de falar da ‘limpeza’ de algumas? É algo de que sei muito pouco.

A Federação da Luz: Na NOSSA VERDADE … diríamos que não é o nosso departamento!

Blossom: Mas, deveis saber … sendo os Supervisores dos Supervisores … ou vocês ignoraram este assunto?

A Federação da Luz: Estamos cientes dos objetivos e das medidas de protecção.

 Blossom: Realmente, tenho de assumir uma posição honesta em relação a isto … Estou a lutar um pouco com tudo isto, porque estou a resistir. Sinto-me desconfortável talvez ao ‘derrubar’ o que foi mencionado por outros canalizadores, em relação a esses bunkers. Não gostaria de abrir uma lata de minhocas. Especialmente e em primeiro lugar, porque não sou perita neste assunto. No entanto, começamos, portanto, devemos terminar. Vou tentar sair do caminho
...............

Ok, vou ter de esticar o meu pescoço e o meu coração está acelerado … mas interrogo-me se ALGUNS DESSES BUNKERS foram derrubados por explosões ou limpos …e enquanto ‘continuamos’ … também ouvi que a maior parte dos ‘fulanos trapaceiros’, partiram para outro planeta/espaço/lugar e que estão presos aí … a ‘pensar no que fizeram’. Qual é a VOSSA VERDADE sobre este assunto?

A Federação da Luz: A NOSSA VERDADE sobre este assunto é a TUA VERDADE sobre o mesmo.

Blossom: Oh, caramba! Era isso que eu temia. O que estava a pensar foi o que recebi.

A Federação da Luz: Compreendes, Blossom … SENTIMOS os teus pensamentos sobre os ‘outros’. Mas, não podemos proteger os outros, mantendo-os numa bolha. Já não dissemos muitas vezes … que uma pessoa deve discernir e descobrir a sua própria Verdade? Só podemos dar a nossa. Se ela não está em sintonia com a pessoa que está a ler … não ridicularizamos ou julgamos. Enviamos Amor e pensamentos de bem-aventuranças, de modo que eles sigam o seu caminho para o lar.

Blossom: Não tenho ideia qual a ‘Verdade’ que acabaram de soprar. Em primeiro lugar, não sei quem mencionou estas coisas. Posso somente ir CONVOSCO, porque ACREDITO em vós. O nosso relacionamento não nasceu ontem. Então, para confirmar e avançar … os bunkers … a remoção dos ‘mauzões’?

A Federação da Luz:  Dir-te-íamos que muito que foi dito, na expectativa da transição … foi feito por isso mesmo. Expectativa.

Blossom: Ouvi dizer que esses bunkers tinham sido destruídos.

A Federação da Luz: Não há mais provas do que as que temos … do que as que estamos a falar contigo.

 Blossom: Steady Neddy. A representar o quê?

A Federação da Luz: : Estás a levar-nos para o teu coração e a TUA prova é o SENTIMENTO/SENSAÇÃO que te oferecemos. Não há fotografias … está correcto?

Blossom: Hey! Se eu tivesse algumas fotos de vocês e eu, a bebermos Piña Colada, deitados à volta de uma piscina, algures no Havaii … muitos dos que estão ‘inseguros’ do que pensar sobre vós … de repente, SENTIR-SE-IAM muito melhor!

A Federação da Luz: Da mesma maneira … tens provas das excavações dessas instalações subterrâneas?

Blossom: Não. Mas também não procurei. Pode haver algumas, como disse, não pesquisei muito sobre este assunto.

A Federação da Luz: Quando não tens evidência física … quando tudo o que tens são as tuas sensações, se não Confiares nelas … em que podes Confiar?

Blossom: Boa resposta. Então, podemos avançar? Muitos gostariam de saber se podem ajudar os que estão nesses tubos, em cativeiro?

A Federação da Luz:  Estamos conscientes das respostas de coração, de  muitos a respeito deste assunto. E da elevação havida DE TODOS e PARA TODOS … por intermédio dessas respostas. Ajudar estas almas não é diferente de ajudar uma alma da Terra, numa situação idêntica.

ENVIEM AMOR … AMOR … AMOR … AMOR.

Do mais profundo do vosso ser … arranjem tempo para elevar a VOSSA ALMA e TODAS AS ALMAS.

Blossom: Penso que vocês estão cientes de um cavalheiro que está a diligenciar arduamente em conseguir uma Reunião Global, em datas a indicar para meditar? * Por favor vejam a nota no fim do texto.

A Federação da Luz:  Somos conhecedores desse EXCELENTE cavalheiro e da sua persistência que nunca abranda, para levar a Humanidade de volta ao que ele SABE SER A LUZ DA VERDADE. Aproveitamos esta ocasião para louvar o seu trabalho e tudo o que ele TEM feito … em tempos fáceis e difíceis. O que ele está a oferecer, é realmente uma oportunidade maravilhosa de unir a Humanidade. Pois foi provado que ‘quanto mais, melhor’ faz uma grande diferença na elevação da vibração.

Quando vocês se juntam … é como se … daríamos a analogia da vossa expressão ‘juntar os pontos’ … todos os pontos de uma página … que parecem pontos vulgares. Mas, quando estão juntos … que aspecto diferente eles apresentam. A força dos números.

Escolhemos acabar a conversa de hoje com esta nota de elevação.

Blossom: Lah! Oh, não com esta!

A Federação da Luz:  Embora de acordo com uma perspectiva de TUDO o que acontece no vosso planeta … as coisas parecem bastante frouxas … mas a partir de outra, as coisas estão realmente a ‘avançar’. Os raios do sol são mais brilhantes e mais fortes e oferecem mais Luz ao vosso mundo … o que, por sua vez, ajuda as energias e transforma o mais pesado … no mais Leve.

Tudo dentro do plano … O Plano Divino … ainda continua no rumo certo.

Estamos em Grande Alegria.

Queridos amigos, aprendam a desligar. Pois nem tudo é o que parece.

Há o lado escuro da Lua, mas também há o lado iluminado pelo Sol … estão ambos presentes, mas depende em qual deles vocês escolhem focar-se.

Quando já não sois desta vibração planetária …ireis sorrir e dizer …’Ah, AGORA, ‘agarro/compreendo isso’.

Blossom: Esperando ansiosamente ‘agarrar isso’ … mesmo muito. Irei terminar por hoje. Obrigada … por terem aberto a comunicação. Espero que não seja uma lata grande de minhocas. Para ser franca, simplesmente não estou preparada para isso!

A Federação da Luz: Nós também, temos sido francos … Não podemos ser de outra maneira.

AMAMOS todos vós. AMAMOS TODA A VIDA … e desejamos ajudá-la no seu desenrolar.

Blossom: Bem, se isto ajuda, de acordo com o meu ponto de vista, vocês estão a fazer UM BOM TRABALHO! Em Amor e agradecimento.

No dia seguinte

Blossom: Olá, mais uma vez, meus amigos. Quero adicionar um pouco de tempo extra, esta semana, para manter a par de tudo. Apreciei a vossa franqueza de ontem, e embora tenha lutado com ‘a coragem necessária’ para enviar esta mensagem … a respeito da VOSSA VERDADE sobre os bunkers, etc. … Aceito que devo fazê-lo. Então, assim farei.

No entanto, outro assunto que alguns estão a escrever, diz respeito à vossa afirmação há algum tempo … (20.10:2013), que passo a transcrever:

"Realmente, alguém sugeriu que vos perguntasse se poderiam dar uma percentagem da probabilidade de O Evento acontecer em 2013, 2014, 2015 … e então, pelo menos termos alguma ideia de quão perto realmente estamos … Podem considerar dar-nos uma resposta sobre este assunto?

A Federação da Luz: Diríamos com toda a ‘segurança’ … que a probabilidade para nos mostrarmos/exibirmo-nos antes do ano de 2014 acabar, é muito forte.”

Blossom: Agora … adoraria ‘saltar’ este assunto … mas, em representação dos leitores … isso não seria correcto. Então, em AMOR e CONFIANÇA, e de muito bom humor … o que teriam a dizer sobre este assunto?

A Federação da Luz: Não foi essa uma das razões porque foste aceite para esta função, Blossom? Ter a certeza, sem qualquer margem de dúvida, de que nada ‘passe ao lado’ ou fique atirado para baixo do tapete?

Blossom: Talvez seja assim … vocês conhecem-me bem.

A Federação da Luz: Conhecemos. Tu também nos conheces muito bem. E a respeito deste assunto, ligar-nos-íamos a ti fortemente, ao dizer que só te oferecemos a Verdade.

Blossom: Então, há uma forte probabilidade de que se revelem antes do fim de 2014? Fixe … já posso antecipar a resposta … vocês vão dizer …

A Federação da Luz: Não.

Blossom: Está aqui uma pá … podem começar a cavar.

A Federação da Luz:  Compreendemos os teus sentimentos.

Blossom: Não me levem a mal … Não estou zangada … talvez um pouco confusa e ansiosa por saber, desta vez, que explicação têm para essa resposta, que irão colocar muitos leitores longe das vossas palavras, no próximo ano!

A Federação da Luz: Blossom … como dissemos muitas vezes … isto não é um espectáculo de popularidade. Os que se sentem em sintonia com as nossas palavras SABEM, num lugar profundo dentro deles … que vimos em Amor e oferecemos a Verdade. Para os que não SENTEM assim sobre NÓS …não SENTIMOS que DEVEMOS mudar o seu padrão de pensamento. Não nos compete fazê-lo. Eles devem encontrar Paz e a Verdade no interior dos seus Seres, sobre estes assuntos. É tudo o que é importante.

Blossom: Yep. Eu sei. Por esse motivo é que ainda estou a bordo. Mas qual é a razão de que agora é improvável essa exibição?

A Federação da Luz: É porque escolhemos renegar isso que oferecemos, porque não é mais compatível com o processo continuo de avançar com o plano, em processamento.

Blossom: Ooooh, meus Amores! Alguns não irão gostar dessa afirmação! Pesquisei duas vezes a palavra ‘renegar’ e surgiu ‘Retirar-se’… que é muito mais suave do que ‘faltar à palavra’/falhar em cumprir’

A Federação da Luz: E nós agradecemos a tua pesquisa …pois não é que ‘retirarmos’  parece mais desejável?

Blossom: Para MIM … em vossa defesa … sim. Então, passem-me agora a pá, se puderem … Porque é que já não é mais compatível fazê-lo?

A Federação da Luz: Porque os ‘ACONTECIMENTOS’ sobre o vosso planeta não conduzem a que isso ocorra.

Blossom: Estamos/estivemos … a falar do GRANDE EVENTO … ou apenas de um Pequeno Grande Evento, isto é, VOCÊS a fazerem um aparecimento célebre?

A Federação da Luz: Não estamos, nem estivemos … a falar de O EVENTO. Mas, estivemos à espera de que a oportunidade se  apresentasse de maneira que iria dar aos da Terra uma boa maneira para acreditar.

Blossom: Vocês sabem … com a vossa inteligência e tecnologia … tenho de perguntar POR QUÊ? … Mais uma vez … lamento, lamento lamento … sois incapazes de fazer qualquer coisa? O que é que os Conselhos disseram sobre isto? Posto que aceitei que ‘isto’ realmente vai a Conselho?

A Federação da Luz: Eles apreciam a tua boa vontade em perseverar. Mas, mas não podem necessariamente seguir, com o plano que vocês da Terra gostariam, porque pode interferir gravemente com o Plano TOTAL.

Blossom: Vocês sabem … não é verdade?… Eu sei que sabem. Que muitos estão cansados de esperar e quanto mais tempo isto durar … se aceitarmos o vosso raciocínio de ser capazes de se revelarem ou não …mais as pessoas ficam aborrecidas, do que elas consideram ser desculpas. Com o devido respeito … conseguem perceber o dano que fizeram às expectativas de muitas pessoas, ao dizerem que havia uma forte probabilidade de se revelarem no final de 2014? Mas agora estamos nesse final … e vocês não vão ser capazes! Isso não augura nada de bom, aos olhos de nós, os da Terra. Amigos … REALMENTE NÃO augura.

A Federação da Luz: Vamos ser francos, mais uma vez.

Blossom: Franks é um rapaz muito ocupado, hoje em dia!

A Federação da Luz:  Usamos datas para tentar ajudar … porque é o que vocês pedem. Afirmamos muitas vezes que o ‘tempo’ não existe. É uma questão de fragmentações … uma com *permissão da outra. Se esses fragmentos não acontecerem dentro da ‘data’ esperada … então o fragmento seguinte não pode ocorrer … a menos que o precedente tenha ‘ocupado o seu lugar no esquema das coisas.’

Blossom: Sim, recentemente tive uma discussão com alguém sobre isto. O que é que vocês dizem que ‘devia’ ter acontecido, e que não aconteceu … para que não se possam revelar?

A Federação da Luz:  Não houve a coagulação de empresas. Com isto queremos significar … reuniões de Seres políticos necessariamente importantes … que vivem no lado solarengo da rua, devemos dizer … que foram capazes de lavrar certos documentos … à falta de melhor palavra …que iriam encaixar-se perfeitamente, e que então nos teria permitido ‘voar nos vossos céus’ à vontade … sem um possível ataque … ou influências que nos podem fazer parecer algo que não somos.

Depois de tão longa espera, Blossom … iria ser vergonhoso ‘ fazer isso tudo explodir’ … porque se esgotou a paciência daqueles … que não compreendem perfeitamente o quadro mais alargado … e sentimos que necessitávamos de ganhar alguns pontos de reconhecimento pelo  bom esforço. Não necessitamos fazê-lo. Não iríamos considerar fazê-lo. Não se encaixava precipitar-nos, precisamente na ‘linha de chegada’ … quando estamos tão perto de ‘trazer’ a VERDADE até à entrada da vossa porta’. Há muito em jogo … e não podemos arriscar.

Estamos cientes das necessidades da Terra e das lutas levadas a cabo, por vezes, para tentar manter a cabeça à tona da água. Mas, SABEMOS que sois fortes e que se manterão a flutuar. SABEMOS isso, simplesmente.

Vocês têm a escolha de CONFIAR ou não, na nossa palavra. Como dizemos … Não vos prendemos para resgate. Não insistimos para CONFIARES em nós.

Nós … na nossa forma amorosa … pedimos que perguntem a si mesmos … A VOSSA VERDADE … e a sigam. Não vos pedimos mais nada do que isto.

Blossom: Tudo isso ESTÁ PERFEITO para mim. E eu, mais do que ninguém, tive o meu quinhão a questionar a VERDADE entre nós. E sabeis que mais? Vou colocar-me na linha ao dizer... que, de uma forma ou de outra, não vos iria sugerir ‘enviem-nos um pouco de boa disposição no  Natal". Vocês conhecem-me ... não iria trazer isso à baila, senão o sentisse!

BANG!

Oops, penso que dei um tiro no meu pé! De qualquer maneira, não importa! Mas, como dizem … Podemos fazer a nossa parte, ao manter a vibração em alta. Este é o meu pedido para vós … Para TODOS. Por hoje, estamos falados. Muito obrigada … de facto, muito obrigada pela vossa VERDADE sobre este assunto. É tudo o que vocês podem dar e estou muito agradecida por isso.

A Federação da Luz: Os nossos agradecimentos pelo vosso AMOR,  a Cada Um de Vós.

*  GLOBAL MEDIATION COMMUNITY --- "GGF Factor" --- The daily meditative GOOD FEELING FACTOR. Contactar Russ Michael Age-Reveral@aon.at

** Concessão (contracto) (por vezes chamado acordo de concessão): direito contractual de levar a cabo uma certa espécie de negócio ou actividade numa área, tal como explorar ou desenvolver recursos naturais.


*** The Federation Of Light speak of LOVE. https://www.youtube.com/watch?v=RmsCqVjqSss


**** Uma Invocação de 14 de Fevereiro, apropriada para fazer depois da leitura da canalização de hoje.


https://www.youtube.com/watch?v=Gqmukxqt2rU




Website: Blossom Goodchild

Audio https://www.youtube.com/watch?v=Gqmukxqt2rU

Audio
here.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Foco e aceitação são as duas maiores chaves do universo.

 
COMPREENSÃO DE SI MESMO
Mensagem da Amada Maria, Sananda e Melquisedeque
Canalizada por Elsa Farrus
Em 28 de novembro de 2014


Filha amada, sou Maria.

Este é o momento maior para se reconciliarem com seu ser, tanto o físico como o energético.

As coisas virão nos próximos dias e horas como um esclarecimento de fatos individuais que vocês pensavam que eram de uma maneira e que serão de outra com nada a ver com o que vocês, durante anos, tinham em mente.

A energia entrante, a constante radiação é uma cura de estruturas básicas, de pilares, por isso sentem-se tão esgotados.

Agora, neste período, vocês poderão de maneira simples se transformar por dentro e por fora com grande agilidade.

A chave: higiene vibracional.

É muito simples: cerquem-se de hábitos e circunstâncias que aumentem sua vibração – música, pedras, meditação, alimentos.

Tudo que os constrói por fora os constrói por dentro.

Então, nestes momentos muito concretos o passo de maior importância é saber com afinidade como as experiências e a constância abrem-lhes o caminho, simplesmente...

Todo complexo não leva a nenhuma parte, todo abstrato é desnecessário, toda dor não é o caminho.

Foco e aceitação são as duas maiores chaves do universo.

Quando não aceitamos um ser tal e qual ele é, nós estamos desperdiçando energia em transformar o que é uma vida com sentido próprio.

Quando não focalizamos, nós estamos diversificando a energia vital em inúmeros corredores quânticos que requerem energia, com isso fica muito mais fraca e é mais difícil de sustentar.

Agora é o ponto de inflexão em que a ação deixa para trás as ações passadas para que as realidades pessoais possam ser sustentadas com maior agilidade.

Filha amada, a utilização da espiral contínua ajudará vocês a limpar as memórias passadas, trabalhando com o uso das três frequências nesta ordem:



Primeiro subam do núcleo da Terra em vertical um prana de luz branca entrando em seu chakra estrela de Gaia.

Respirando fundo por duas vezes subam a energia para o chakra base.

Continuem respirando e daí ao segundo chakra.

A respiração alinha com todos os outros.

Continuem respirando e levem a luz ao plexo solar.

Continuem meditando.

Pouco a pouco a energia chega, subindo em vertical, ao encontro de seu chakra do coração.

Uma nova respiração e entrará em contato com o chakra da garganta.

Continuem em ascendente ao encontro do sexto chakra na parte frontal.

Estejam conscientes da energia luz e a concentrem na altura do chakra da coroa.

Continuem respirando e integrando a luz branca no chakra da coroa e após respirarem um par de vezes, subam a energia ainda mais acima do chakra da coroa até o chakra estela da alma, um palmo acima da cabeça e respirem fundo por três vezes instalando a energia para que ela gere uma esfera de luz ao seu redor.



Depois encham essa esfera de energia com a frequência dourada que banha vocês com luz do universo.

Posteriormente, nessa esfera de luz, vocês pedirão a conexão com o raio violeta, um raio violeta que se concentrará na sua frente formando uma espiral de luz constante e que se dirigirá aos seus chakras, com três respirações por chakra, formando uma espiral que entra pela frente dos chakras e vai empurrando para trás sua rota em espiral, regulando com sua frequência o ritmo natural dos chakras e transmutando tudo quanto bloqueia vocês.

Continuem respirando e ao verem chegar ao exterior, seja com três ou mais respirações por chakra, peçam a frequência da luz platina que entra no raio violeta formando o raio malva, o violeta claro nacarado iridescente que renova vocês e banha na luz o interior dos chakras e também passa ao exterior...

Assim que concluído o processo, respirem fundo várias vezes enquanto a frequência de luz se distribui e sintam como a energia restante volta ao universo.

Respirem fundo por três vezes novamente e subam do núcleo da Terra a luz dourada em vertical.

Um novo raio de luz dourada do núcleo de Gaia que sobe chakra por chakra, desde o chakra estrela de Gaia até o chakra estrela da alma e forma um grande sol que se deposita em cada um de seus chakras.

Ao respirar fundo por três vezes a energia se regula em espiral da frente e detrás formando um cone de luz própria em consciência solar, ou que é o mesmo que luz dourada unificada.

E respirem fundo por três vezes novamente enquanto veem como a luz solar se distribui em todo seu campo eletromagnético por igual enchendo-o de luz e de energia.

Respirem e sintam o corpo físico com vários movimentos antes de abrir os olhos.

Filha amada, essa combinação de frequência de luz ajudará vocês a poder trabalhar energeticamente os resíduos de consciência do passado que ainda os entorpecem diariamente e no alinhamento do cotidiano.

Amada filha, nós nos despedimos desde o sol central de Alcyon,
Sananda, Maria e Melquisedeque.


Obrigada a todos por compartilhar esta canalização quando sentirem.
Feliz diz a todos.
Elsa




Tradução: Blog Sintese
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...